♡ Nina Gaul



A série Ruínas, de Nina Gaul, utiliza-se de retratos sem sujeito passíveis de serem reconhecidos enquanto retratos apenas por nossa estrutura cognitiva, uma vez que eles não têm retratados. Como suportes de subjetivação, as singularidades são exploradas na feitura bem como no projeto: buscar na arte algo particular à contemporaneidade: o que está posto como conteúdo para o retrato uma vez que o Sujeito, seu objeto, já não pode mais ser representado.

fonte

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s